Fazendo estória por aqui...

30 de abr de 2010

Utilidade Pública: Bipolaridade

Oiiiii,

já disse por diversas vezes por aqui que sou bipolar, né!!!
É um transtorno mental, que caracteriza pelas alterações de humor repentinas, da euforia a depressão.

Já estou acostumada ao meu problema e hoje lido tranquilamente com minhas crises...que acontecem, a frequência das crises, vai muito do meu estado de stress também (andei percebendo).

Mas, vou contar aqui minha história melhor e como descobri...

Sempre fui uma criança/adolescente de mudanças repentinas de humor, mas até então, esse transtorno não era conhecido pela minha família.
Quando pequena, lembro de ter uns 6-7 anos me deitava no chão gelado, sem agasalho, e pedia pra morrer (bem dramática a situação), meus pais achavam exagero e drama da minha parte, mas naquele momento eu realmente queria morrer....cresci assim, as vezes querendo morrer, as vezes achando que nada podia comigo, que era a melhor do mundo (estado de euforia / estado de depressão). Na adolescência as crises foram muito piores, pois além de tudo, como ninguém "me entendia" eu dava umas sumidas de casa; deixando minha mãe de cabelos em pé...passei a fumar (cigarro mesmo), era onde dava vazão as "coisas que passavam na cabeça" e também a escrever...tenho vários cadernos, agendas e diários de poesias e delírios. Até que cheguei aos 17 anos e daí veio a pior fase mesmo...quando tentei, por 03 vezes, o suicídio...não vem ao caso aqui como foram essas tentativas, pois estou querendo ajudar com esse relato. Mas graças a uma Força Maior, fui frustrada e na última vez, vi minha avó, já falecida, vir conversar comigo...(bom, sou espírita).

Também aos 17 entrei na minha primeira faculdade...mas tenho uma dificuldade imensa de terminar o que começo, tranquei a matrícula justamente quando entraria no 5º ano e último. Fiz vários outros cursos...até que cheguei a psicologia.

Também não terminei, parei no 4º ano, mas essa é outra estória...tive que fazer terapia...após 01 ano minha terapeuta me deu o diagnóstico (que não é fácil de ter com certeza).

Meu mundo caiu...desabou...me achei louca, que deveria ser internada...crise gravíssima...

Mas, depois que tudo, pesquisei muito, passei com psiquiatra e passei a me cuidar...hoje já sinto a crise se aproximando, as vezes até mesmo consigo evitar (quando esta vem moderada), as vezes aviso a família..."vou entrar em crise"...ficou mais fácil me entender e me fazer ser entendida...

Bom, tudo isso é só porque ontem estava passeando pelos blogs que adoro e vi o "depoimento" de uma blogueira...

Pra vc, realmente sei o quanto é difícil quando estamos em crise, mas elas passam...é sempre bom entendermos melhor nosso transtorno...procure ajuda...

Desculpe o post gigante...mas sempre acho necessário passar informação aos outros com o que também nos aflige...

Para saber mais sobre o trantorno Bipolar, entre nos links abaixo:

Bipolaridade
O Bipolar
Estórias e Histórias

Ah, e não estamos sozinhas nesse mundão não....olha só os bipolares famosos:

Literatura: Agatha Christie, Virginia Woolf, Ernest Hemingway, Edgar Allan Poe, Graham Greene, Hans Christian Andersen.
Na poesia, Fernando Pessoa (sempre desconfiei desse, amoooo!!!), T. S. Eliot, Walt Whitman.



Música: No Rock, Cazuza, Axl Rose (vocalista do Guns n' Roses), Kurt Cobain (ex-vocalista do Nirvana), Elvis Presley, Janis Joplin e Jimmy Hendrix.

No jazz, o pianista Thelonius Monk.

Na música erudita, Tchaikosvky, Mozart e Maria Callas.




Cinema: Robin Williams, Jim Carrey, Marilyn Monroe e Elizabeth Taylor.


Artes plásticas: Paul Gauguin e Vincent van Gogh, revelados inclusive pela intensidade das cores de seus quadros.

Filosofia e ciência: Platão e Isaac Newton.


Política: Winston Churchill, Abraham Lincoln e Ulysses Guimarães.

8 comentários:

Tati Pastorello disse...

Grande depoimento, Açuti. Muita coragem sua se mostrar assim. Sei que não é fácil nos expormos. Que sua amiga blogueira, seja quem for, possa se ajudar.
Beijos.

Manuela Freitas disse...

Olá Açuti, gostei deste seu depoimento e de ter coragem de se mostrar, mas é assim mesmo, só deste modo se pode ajudar os outros.
Com menos gravidade, do que a que descreve, a minha mãe também era bipolar, no caso dela, era a tristeza mais negra no Inverno e era uma grande euforia no verão! Claro que também teve que ter uma assistência constante. Eu própria também considero que o tempo tem grande influência em mim.
Beijinhos e bom fim de semana,
Manú

Glorinha L de Lion disse...

Açuti querida, vou te contar uma coisa:desconfio que tb sou bipolar....só nunca tentei me matar nem desejei morrer, mas oscilo entre a euforia e a deprê com a maior facilidade....acho que esssa é a doença do século e não a depressão, como dizem...conheço vários bipolares e tenho vários na família...por isso, não se sinta excluída e sim incluída no rol dos bipolares..aliás desconfio que todo mundo tem um pouco de bipolaridade...
Bjs. muito legal teu post!

Chica disse...

Importante e sincero depoimento.Que bom que tudo deu certo contigo aos 17 anos...Credo!Mas acontece mesmo! E o importante é que agora te entendes, os outros sabem e ainda, com teu falar aqui, ajudas aos que não sabiam. beijos,tudo de bom,chica

Lydia disse...

Adorei.
Meus parabens pela coragem em expor, e pela vitória!

Não sabia muito a respeito disso.

Bjs.

Lu Souza Brito disse...

Oi Açuti,

Nossa que história. Confesso que não sabia muito a respeito.
Ouço as pessoas dizerem que "fulano é bipolar", mas acho que é só uma forma exagerada e dizer que muda de humor repentinamente, o que nem sempre caracteriza a bipolaridade não é??

As vezes fico triste do nada, tenho vontade de sumir, mas de morrer nunca tive não.

Fico feliz que hoje em dia conviva bem e se aceite, pois esta é a parte mais difícil, imagino eu.

Lúcia Soares disse...

Oi, Açuti.
Encontrei você pela blogagem colorida da Glorinha.
Na minha família tenho 3 irmãos com esse diagnóstico e o que é pior, 2 se envolveram com drogas, mas hoje são adultos, mais de 50 anos, e se cuidam bem. É difícl mesmo aceitar o diagnóstico e até acertar nele.
Concordo com a Glorinha, falo sempre que em maior ou menor grau, a humanidade é bipolar...
Um beijo pra você e é linda essa coragem de se expor.Deus a abenço!
Bj

Açuti disse...

Oiiiii,

então, para completar, a minha bipolaridade não é das mais fracas...por isso passo/passei por esses episódios de tentar contra minha vida...hoje, quando a crise é muito forte e tenho pensamentos suicidas (sim, ainda acontecem) olho e fixo a imagem dos meus filhotes na cabeça...para nunca mais chegar perto de uma besteira...
Fora isso, não é coragem não...é saber que tem muita gente que sofre com isso e se cala, e mesmo famílias que tem pessoas assim e não sabem...

Obrigada pelos comentários e pelo carinho!!!

bjksssss