Fazendo estória por aqui...

11 de mai de 2010

Utilidade Pública: Assédio Moral no trabalho (parte 1)

Oiiii,

Hoje a tarde estava assistindo o programa da Silvia Popovic e me lembrei de um passado bem triste...

Eu fui vítima, em 02 trabalhos, de assédio moral.


Antes de dar meus "depoimentos", vou explicar melhor o que é isso, afinal se vc estiver passando por isso, não tenha medo e denuncie!!!

E o que é assédio moral no trabalho?

É a exposição dos trabalhadores e trabalhadoras a situações humilhantes e constrangedoras, repetitivas e prolongadas durante a jornada de trabalho e no exercício de suas funções, sendo mais comuns em relações hierárquicas autoritárias e assimétricas, em que predominam condutas negativas, relações desumanas e aéticas de longa duração, de um ou mais chefes dirigida a um ou mais subordinado(s), desestabilizando a relação da vítima com o ambiente de trabalho e a organização, forçando-o a desistir do emprego.

Essa é apenas a definição, o que já dá pra sentir se o que vc passa no serviço é ou não ASSÉDIO MORAL, saiba mais nesse site aqui.

Meu caso:
Caso 1 - Quando tinha uns 22-23 anos, entrei para trabalhar como secretária numa escola de idiomas muito famosa e bem conceituada no Brasil (já que está presente em quase todos os Estados). Foi lá que me formei em inglês, o que facilitou minha entrada na tão disputada escola. Lá é um ambiente super conservador, já que é representante de um país super conservador (God save the Queen). Fiquei encantada com o salário que se pagava, afinal, eu era uma menina" com grana, uhuhuhhuuu poderia gastar muitooo...então, mas tudo isso foi uma grande ilusão. Logo que entrei, todas as secretárias e professores me diziam: TOME CUIDADO COM A GERENTE "SARGENTO MEGERA" pois por qualquer coisa ela estoura, explode...afff, eu nunca tinha vivido isso, então pisava em ovos com ela. 
Até que meu tormento começou, na época das matrículas, tínhamos que "bater" metas ridículas (éramos secretárias e não vendedoras, mas, né...), eu me esforçava muito...ganhei prêmio por vender muito, mas fiz muita coisa errada nas matrículas, pois não tinha sido treinada para aquilo, e tão pouco tinham me ensinado como funcionava. O primeiro xingo que recebi foi:
SUA INCOMPETENTE!! QUE VC FEZ...VAI JÁAAA ARRUMAR ISSO!
Sai de sua sala, com muitas lágrimas nos olhos, a escola inteira me olhando, sentei no último computador da secretaria e passei a ligar para os alunos para acertar meu erro. Mas a coisa ficou pior ainda. 
Poucos dias depois, ainda não tinha "acertado" as coisas...e levei mais muitos, vários xingos, na frente de todos dessa vez...INUTIL...QUEM TE CONTRATOU...(detalhe: ela mesma, lol).
Isso me resultou em vários sintomas e problemas...comecei a chorar todos os dias antes de ir trabalhar, em seguida, comecei a ter dores de cabeça terríveis, que me faziam vomitar muito, até que desmaiei no trabalho e fui internada as pressas...nunca "descobriram" o que eu tive, mas fiquei 1 semana internada realizando muitos exames.


Depois de uma semana afastada, internada, ao retornar, assim que pisei na secretaria me informaram:
Flor, a SARGENTO MEGERA quer falar com vc!!!
Novamente senti enjoo, minhas pernas tremeram...mas lá fui eu. Estava DEMITIDA!!!
Foi ai que senti o maior (primeiro) alívio de minha vida...


Esse é só o primeiro relato, pois este poste ficaria imenso...


Fique atenta(o), se estiver sofrendo no serviço, algo errado pode ter por ai...


Veja mais:
Assédio Moral no Trabalho - Chega de humilhação.
Assédio Moral - Wikipédia
Assédio Moral - Dando a volta por cima.



6 comentários:

Lili disse...

Nossa Açuti, fiquei chocada com seu relato! Eu em alguns lugares já passei por isso, mas felizmente eu sempre podia pegar minhas trouxas e não aguentar certas coisas... (era mais nova!)... hoje em dia, tem horas que realmente penso se o que passo não seria assédio, mas vo uaguentando, sabe? Mas não é bom pra gente, pro ambiente onde trabalhomos, pra nossa família e por ai vai!
Infelizmente eu acho que é um mal que só tende a crescer... as pessoas em gerências não tem perfil para lidar com pessoas e sim em mostrar resultados (a maioria delas!!!)
Beijos, Lili

Açuti disse...

Oiii Lili,

veja bem, analise o que está passando atualmente...Se realmente estiver passando por esse mal, denuncie sim...isso é para sua saúde e também pela saúde de sua família.
Isso é um mal que devemos combater!!!

bjkssss

Mila Viegas disse...

Sofri isso tb no meu primeiro emprego como professora de Biologia num colégio particular da minha cidade. Tb tinha meus 20 e poucos anos e estava super entusiasmada para trabalhar, pois adorava ser professora.
Passei tanta humilhação nos 2 anos que fiquei lá que nunca mais consegui colocar os pés numa sala de aula para lecionar. Isso inclusive me bloqueou para trabalhar fora, tanto que hoje tenho meu próprio negócio e trabalho em casa mesmo.
É complicado, sabe?
Nos últimos seis meses de emprego eu não me reconhecia mais. Tinha envelhecido... minha pele estava sem viço e era um martírio ir trabalhar. Cheguei ao ponto de desejar que uma doença me acometesse para que eu tirasse licença. Foi terrível! Daí no final destes seis meses pedi demissão porque minha energia estava se esvaindo. Fiquei com medo de perder minha razão com a diretora/dona da escola, pois estava já no meu limite.
Não sei porque existe gente assim... Realmente não compreendo.

beijos

pensandoemfamilia disse...

Realmente, trabalho com a saúde do trabalhador e muitas das questões emocionais de alguns estão relacionadas a esta grave questão.
Ainda bem que, hoje, já a uma boa difusão sobre este tema e as pessoas ficam alertas para se protegerem e/ou se defenderem.
bjs

Lidia Ferreira disse...

Ja passei por isso amiga ,foi contrata como recepcionista , mas acabava fazendo todo o serviço de secretaria e faxineira e toda vez que a Advogada não estava de bom humor ela me humilhava , ate que eu pedi a conta, hoje ela sempre me liga pedindo para eu voltar
o mundo da voltas rsrs
bjs

Lu Souza Brito disse...

Ai Açuti, que raiva do blogger. Tentei comentar aqui ontem umas 20 vezes, sempre dava erro.
Mas eu já passei por iso também e é terrível. Hoje sou repseitada pela profissional que sou e isso me deixa muito satisfeita.
Beijos
Lu